Personalize sua Coca-Cola!

La La Land, uma história de amor que resgata o melhor do cinema

Pelo nome do blog, dá pra ter certeza que gostamos de histórias de amor. A história da vez começa em um congestionamento no ensolarado verão californiano, em um incrível musical em plano-sequência cheio de otimismo, onde aprendemos que não importa quais os problemas, o sol sempre vai nascer de novo. La La Land

Escrita e dirigida por Damien Chazelle, que surpreendeu o mundo com Wishplash, La La Land Cantando Estações homenageia o cinema clássico dos anos 50 e 60 com a história de Sebastian e Mia, dois sonhadores que buscam a realização em Los Angeles.

La La Land, cena de abertura

Tal como o número musical inicial, a história dos dois é cheia de pequenas frustrações que ganham um colorido diferente quando um entra na vida do outro.

O relacionamento que começa cheio de desdém e leva o casal às estrelas, é a grande beleza do filme. Sorte de Ryan Gosling e Emma Stone, que encontraram em La La Land os papéis de suas vidas.

Ryan Gosling e Emma Stone

Vencedores do Globo de Ouro e candidatíssimos ao Oscar de melhor ator e atriz, a sintonia do casal que já havia atuado junto em Amor a Toda Prova, transpassa a tela e transmite para quem assiste uma química que pouco se encontra no cinema. Ah, e é preciso dizer que Ryan não teve substituto em suas cenas ao piano. O ator, além de dançar e sapatear, teve apenas três meses para aprender a tocar piano como profissional e faz todas as cenas do filme.

Vale dizer também que o filme é o musical menos musical que você terá a oportunidade de assistir. O roteiro é recheado de falas e números de dança, fazendo muitas vezes com que a música seja mais uma companheira de cena ao invés de protagonista, como em musicais mais tradicionais do cinema (quem viu Les Miserábles ou Chicago?).

Além disso, os números acontecem suavemente, como se a vida convidasse para uma dança quando encontramos uma paisagem bonita ou estamos em um píer rodeados pelo mar.

La La Land: Cantando Estações

Confesso que a história de amor, contada através das estações do ano (por isso o título em português traz o Cantando Estações), não é nada surpreendente na sua primeira hora e meia, e é aí que o filme deixa de ser uma história bem orquestrada com ótimas atuações e se torna um dos melhores filmes do ano.

Claro que não vai ter spoiler por aqui, mas confesso que o cinema inteiro chorava com os créditos e eu era um a soluçar com aquele final.

Enfim, La La Land: Cantando Estações é aquele filme que vai mexer com o seu coração nesse começo de ano. Corra para o cinema!

Ah, ouça também a trilha sonora aqui.

Comente

tags:

©2012-2019 - Eu te amo Hoje - Todos os direitos reservados.
Todas as imagens de filmes, séries e etc. são de marcas registradas dos seus respectivos donos.